segunda-feira, 2 de julho de 2007

Uma visão do "Oásis" de Caio Fernando Abreu...

Eis o portão da Artilharia, um dos maiores quartéis de Santiago, localizado na rua Pedro Palmeiro. Porém, essa visão frontal do portão é proporcionada em toda a extensão da rua Duque de Caxias. No livro "O Ovo Apunhalado", o escritor santiaguense Caio Fernando Abreu lembra de uma passagem de sua infância. Morador dessa rua, ele costumava brincar com os amigos, fingindo que o portão do quartel era um "oásis". Que o "avião" deles havia caído naquele deserto. (bem, comparando Santiago de agora, com a da época da infância do Caio, essa rua era mesmo um deserto). Eles caminhavam pela rua, sedentos. Enxergavam miragens, se arrastavam, quase morriam. Até que chegavam ao "Oásis", onde matavam a sede e, de quebra, encontravam as partes que faltavam em seu avião. Pronto, agora é só montá-lo e voltar para casa. Estavam salvos...

2 comentários:

Paulo disse...

Pena que não é mais o "arco" a que Caio se refere no livro...

É o preço do progresso.

Anônimo disse...

Estudei com o Caio no Ginásio Cristóvão Pereira, quando era lá na Rua Bento Gonçalves e o diretor era o saudoso Professor Alois e eram professores, dentre outros, a Prfª. Itelman, o Prof. Menélio, o Mr. Cunha, a Profª. Ethel, de quem lembro com imensa saudade, o Prof. Cavalcanti, o Prof. Peli e o Bozano era o encarregado de nos fiscalizar...
O portão a que o Caio se refere no livro era outro e tinha a inscrição "2º GA 75 Cav", que, se não me falha a memória significava "2º Grupo de Artilharia 75 a Cavalo".
Parabéns pelo saite que permite tantas lembranças. Não imaginas o quanto faz bem aos santiaguenses que, como eu, estão há tanto tempo longe e matam um pouco da saudade vendo as imagens... obrigado.
Alberto Afonso Landa Camargo (Beto)